Como estruturar capítulos de um livro

Uma das partes importantes no momento da escrita de um livro, é determinar a estrutura dos capítulos de sua história, por isso escrevi o artigo, como estruturar capítulos de um livro.

Não é uma regra, mas podemos identificar que no caso de romances mais extensos, os capítulos são maiores possuindo dezenas de páginas, enquanto que em histórias mais populares, os capítulos são mais breves.

Porém, a extensão dos capítulos deve ser uma decisão do autor, sua intenção narrativa e também de seu público-alvo.

Mas afinal, o que é um capítulo?

Capítulos, são divisões de um livro, que distribuídos em algumas unidades, formam a composição narrativa de uma história.

O que eu costumo fazer ao escrever as minhas histórias, é intercalar capítulos.

Essa foi uma técnica que criei e deu certo, dessa forma consegui manter os leitores sempre com interesse em continuar a leitura, para descobrir o que acontecerá na próxima cena e capítulo da história.

Trata-se de unir na mesma história, duas tramas que circulam por caminhos diferentes, mas que no final essas tramas se encontram e formam um só enredo.

Ao criar estas tramas por capítulos eu sempre deixo um gancho no final, de forma que aguce a curiosidade dos leitores, assim o gancho do primeiro capítulo levará ao terceiro capítulo e o gancho do segundo capítulo levará os leitores ao quarto capítulo.

Dessa maneira sempre haverá o interesse pela leitura e, não criará a sensação de monotonia na evolução da história.

Título do capítulo

O título de um capítulo deve sempre ser algo relacionado ao próximo texto que o leitor terá pela frente.

Pode até parecer óbvio, mas alguns escritores apenas criam um título para o capítulo sem se preocupar se condiz com o trecho a seguir.

O título de um capitulo deve ser um resumo do que será lido no texto, por exemplo;

Se o capítulo é sobre uma viagem de avião, onde ocorre uma pane na aeronave e o piloto precisa realizar um pouso forçado, o escritor pode descrever as sensações dos passageiros, os motivos que levaram a pane e como foi realizado o pouso, neste caso o título poderia ser: “pânico no ar” por exemplo.

A forma que utilizo para criar o título de um capítulo é primeiro escreve-lo por inteiro, depois fazer uma breve leitura, aproveitando para realizar uma revisão e logo depois definir um título que resume aquele texto.

O título de um capítulo também deve ser um atrativo a leitura, ele deve conter um nome que chame a atenção, crie expectativa e gere curiosidade os leitores.

Perceba que tudo que você escreve, deve ser a favor de manter seus leitores sempre com vontade de querer saber mais sobre a história, por isso você como escritor (a) deve aproveitar todo o recurso para que esse interesse seja mantido, inclusive no título de um capítulo.

 Estrutura ideal

Para estruturar os capítulos do meu livro eu utilizei uma ferramenta que criei e funcionou perfeitamente.

Mas primeiro eu já tinha em mente, um breve resumo do que seria a minha história.

No meu livro A Ordem Malsim, eu queria descrever um resumo sobre o descobrimento e independência do Brasil, adicionando a história no ponto de vista de um personagem fictício que participou diretamente nas decisões pela independência.

A história contém um misto de ação, romance e intrigas que proporcionou um vasto conteúdo e caminhos por onde consegui intercalar capítulos de forma que se unissem no final da trama.

Neste caso criei e utilizei capítulos intercalados conforme desenho abaixo:

Utilizando esta técnica, não existem um limite para a quantidade de capítulos, você pode adicionar quantos capítulos forem necessários sendo que sempre haverá um “ponto de colisão”, onde a história se condensa e a trama é revelada.

Neste exemplo, o texto do capítulo 1 tem continuação no capítulo 3 enquanto o texto do capítulo 2 continua no capítulo 4, por fim, existe o capítulo que chamo de “Ponto de colisão”, que é onde as histórias dos capítulos se fundem.

Por fim, após o “ponto de colisão” surge o capítulo final, onde é definido o futuro dos personagens e da história, se assim o escritor desejar, pois o capítulo final pode conter ganchos para uma próxima história.

Lembra que comentei acima, que o escritor deve aproveitar todos os recursos do texto para adicionar ganchos?

Ao escrever o final da história você pode aproveitar para adicionar estes ganchos que convidarão o leitor a ler um próximo livro, mesmo que não seja uma continuação desta história.

Resumindo

Os capítulos, são divisões de um livro e formam a composição de uma história.

Não existe uma estrutura ideal que pode ser utilizado para todos os tipos de histórias, por isso criei uma técnica que utilizo em minhas histórias e funciona perfeitamente.

Utilizando a técnica de intercalar capítulos, o escritor (a) consegue inserir ganchos para gerar textos diferentes na mesma história, mas que se fundem no “ponto de colisão” até o capítulo final, onde são definidos o futuro dos personagens.

Até breve
Helder

4 Comentários

  1. Maria Helena Dias Pereira Mota

    Oi Helder. Como vai?
    Obrigada pela sua resposta.
    Vou ver o link e ler o artigo. Obrigada, também, pelo incentivo.
    Desejo-lhe um bom final de semana.
    Abraços.

  2. Carla

    Que artigo legal!! Meu sonho é escrever um livro.

  3. Maria Helena Dias Pereira Mota

    Oi Helder. Como vai?
    Obrigada por enviar este artigo. É muito bom e dá dicas muito importantes.
    Eu bem que gostaria de escrever um livro/romance mas as ideias não surgem. Como não fiz Curso Superior, não domino nenhum assunto e para escrever sobre algo, é necessário estar por dentro. Também não sei que temas estão mais em destaque, nesta altura.
    Eu sou fã dos livros de Nicholas Sparks e gosto como ele inicia os capítulos. Primeiro escreve o número do capítulo e depois, por baixo, o nome da ou das personagens sobre as quais vai escrever. Também gostaria – se um dia escrevesse – de fazer assim. Acha que seria plágio, ou cópia? Eu penso que não mas não tenho certeza.
    Desejo-lhe um bom final de semana.
    Abraços.

    • Oi Maria Helena
      Uma boa notícia que posso te passar é, que para ter domínio de algum assunto não é necessário ter curso superior.
      As idéias podem surgir de várias maneiras, através de experiências da sua própria vida, através de acontecimentos reais que são notícias em jornais, entre outros meios.
      Sobre este assunto, escrevi um artigo com maiores detalhes, através deste link http://lanceseulivro.com/tempestade-para-inspirar-ideias/ você pode verificar.
      Cada escritor tem um estilo próprio de escrita e, tenho certeza que quando você escreve, consegue adquirir seu próprio estilo.
      Se você gosta do estilo que o escritor Nicholas Sparks escreve, pode perfeitamente escrever no mesmo estilo, isso não é plágio nem mesmo cópia, pois não está re-escrevendo nenhuma parte de uma história dele, mas sim o estilo que ele usa.
      Ótima semana
      Abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *